UNIDADE DE POTÊNCIA UVC (REATORES)
4 de abril de 2019

Alta tecnologia construtiva. Aprovado em testes laboratoriais. Ação biocida. Comodidade e tranquilidade operacional. Redução dos custos operacionais e de manutenção. Esterilização sem adição de produtos químicos (Cloro) Não deixa resíduos. Atende as exigências legais para descarte de efluentes sanitários Controlador de vida útil da lâmpada Indicador eletrônico de funcionamento.

Pigmentadores de água de reuso

Equipamento compacto automatizado com painel de comando e misturador (pá giratória) do pigmento azul para a coloração da água de uso. Tem por finalidade identificar a rede hidráulica de reuso com a cor da água usada no circuito evitando o uso indevido da mesma.

DESINFECÇÃO DE EFLUENTES SANITÁRIOS

O sistema Ultravioleta é muito difundido em países desenvolvidos, principalmente na desinfecção de esgotos sanitários. Sua utilização nos previne de infestações de doenças e epidemias de veiculação hídrica. Por isso, a consciência do empreendedor em aplicar este tipo de equipamento traz a consciência de saneamento básico e saúde pública.

Principais vantagens da aplicação da radiação ultravioleta na desinfecção de esgoto:

A desinfecção com UV é efetiva na inativação de bactérias, vírus, esporos e cistos;

A desinfecção com UV é um processo físico que, ao contrário de desinfetantes químicos, elimina a necessidade de geração, manuseio, transporte ou estocagem de produtos químicos tóxicos/perigosos/corrosivos;

Não geram efeitos residuais prejudiciais a humanos ou vida aquática;

A desinfecção com UV é facilmente controlada por operadores;

A desinfecção com UV tem tempo de contato menor quando comparada a outros agentes desinfetantes (segundos);

O equipamento de desinfecção com UV requer menos espaço que outros métodos;

A eficiência do processo de desinfecção de esgotos por radiação UV depende dos seguintes fatores:

Características do afluente: elevadas concentrações de colóides e partículas no esgoto influenciam negativamente a desinfecção. Quanto mais clarificado for o afluente ao processo, melhor será seu desempenho de desinfecção. A vazão afluente e a quantidade de organismos a serem inativados também são importantes fatores de influência.

Intensidade da radiação UV aplicada: a intensidade de radiação UV deve ser suficiente para atingir o organismo-alvo com energia suficiente para inativá-lo.

Comportamento hidrodinâmico do reator (câmara de contato): o reator UV (câmara de contato) deve ter escoamento hidráulico que permita maximizar a exposição da massa líquida à radiação UV. Como a dose de UV depende da variável tempo, o tempo de permanência de todos os organismos-alvos deve ser o suficiente para compor a dose efetiva mínima para sua inativação.

Configuração do reator (câmara de contato): a existência de zonas mortas, assim como de regiões expostas a maiores ou menores intensidades de radiação, depende da configuração do reator de desinfecção. Outros componentes, como o tipo de lâmpada e a existência de dispositivos para eliminação do biofilme sobre o envoltório das lâmpadas também são importantes.